sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Alfabetização de Alunos Surdos.

Para o desenvolvimento do processo de alfabetização com o surdo, há também diversidade metodológica.
Vamos sugerir alguns métodos !
Entre os métodos que se destacam estão: o global e o analítico-sintético.

Método Global
A aplicação do método global implica que o aluno apresente os seguintes
requisitos:
a) a criança surda deve ser atendida em idade precoce, ou seja, ter atendimento
educacional ou clínico , logo que seja detectada a perda auditiva;
b) logo que seja detectada a perda, haja indicação do aparelho de amplificação sonora
individual adequado e, conseqüentemente, a estimulação dos resíduos auditivos;
c) a criança deverá passar por um período pré-escolar onde desenvolverá: a aquisição de linguagem em nível de recepção e emissão oral do Português e/ou
da utilização da Língua Brasileira de Sinais;
o treinamento auditivo;
as funções e habilidades de coordenação viso-motora global;
coordenação motora fina;
percepção figura-fundo;
constância perceptual;
posição espacial.
e) a criança deverá vir de um ambiente que lhe proporcione experiências
variadas.

Para a elaboração de textos com os alunos, parte-se de centros de interesse da
faixa etária da criança, constituídos em unidades que formarão um todo e tendo
como aspectos relevantes, a seleção do léxico e das estruturas lingüísticas, de
forma simples, de acordo com o nível de linguagem dos alunos a que se destinam.
Tem-se, por objetivo primordial, das condições para que os alunos adquiram o
vocabulário básico da vida diária.

Material
O material a ser utilizado no processo de alfabetização deverá constar de:

a) Textos produzidos pelos alunos e professores que formam um todo,
subdivididos em cartelas.
b) Cartazes que contêm os textos em letras de imprensa e ilustração feita pelos
alunos;
c) Fichas com as frases dos textos;
d) Fichas com o vocabulário, formando um dicionário visual;
e) Material de Análise Silábica

Como Explorar Cada Texto
1º passo: Exploração do real
Levar o aluno a observar, por exemplo, vários tipos de construção de casas
(sobrado, casa térrea, prédio), seus cômodos, os móveis e utensílios que fazem
parte delas.

2º passo: Dramatização da situação em classe.
Montagem de uma casa em papelão, com todas as divisões, móveis e
bonequinhos que representarão os personagens. A montagem deverá ser feita
pelos alunos sob a orientação do professor. Esse material servirá para a
exploração de vários textos a partir da vivência dos alunos.

3º passo: Apresentação de cartaz com o primeiro texto, quando será feita a
leitura oral ou LIBRAS pelo professor e a seguir pelos alunos.

4º passo: Identificação da(s) frase(s) do texto.

5º passo: Dramatização.
Todos os textos, então, deverão ser explorados no concreto e vivênciados pelos
alunos. Ex.: Dramatizar o verbo “pular”, no imperativo, mandando que cada um
cumpra a ordem dada. Se o aluno não compreender, o professor deverá ser o
modelo.
Utilizar o nome de um animal (como o sapo) que possa, também, praticar a
ação de “pular”.

6º passo: Análise das fichas.
Se , por exemplo, um aluno contar que seu amigo Paulo pula a janela de sua
casa enquanto brinca, todos receberão jogos de fichas, contendo a primeira frase
do texto. Por exemplo: O PAULO PULA A JANELA. A interpretação do texto será
orientada pelo professor, através de perguntas:

P. Quem pula a janela?
R. O Paulo.
P. O que o Paulo faz?
Q. Pula a janela.
P. O que o Paulo pula?
R. A janela.

7º passo: Ilustração do cartaz.
A ilustração será realizada por todos os alunos da classe e o cartaz deverá
ficar exposto na sala, enquanto durar o trabalho com a unidade.

8º passo: Entrega do texto ao aluno, em letra de imprensa, sem ilustrações, para que haja:
· leitura pelo aluno;
· interpretação oral e/ou por meio de sinais;
· interpretação escrita;
· ilustração do texto pelo aluno.

9º passo: Realização de exercícios gráficos para fixação das estruturas frasais e do vocabulário,
como por exemplo:
· ligar a letra de imprensa à letra cursiva;
· desenhar as pessoas, os objetos, bem como as ações referentes às frases do texto;
· ligar as palavras aos desenhos;
· riscar a palavra que o professor falar;
· ligar palavras iguais;
· ligar fases aos desenhos;
· ordenar palavras, formando frases.

10º passo: Desenvolvimento de atividades de fixação e de compreensão:
· cópia dirigida
· ditado oral ou em LIBRAS
· auto-ditado (ver a figura e escrever o nome - ou frase correspondente)
Todo material gráfico apresentado aos alunos deverá ser confeccionado em
letra de imprensa.

Método Analítico-Sintético

Esse método caracteriza-se por explorar o todo significativo e as partes
simultaneamente.
Dentro desse método, o professor poderá partir:
a) da palavra, passando para a frase, formando um texto, retirando novamente a
palavra para decompô-la em sílabas;
b) da frase, retirando a palavra para chegar à sílaba;
c) da estória, retirando a palavra-chave para depois destacar a sílaba.

Esse método destina-se a:

- alunos que entram tardiamente na escola;
- crianças que apresentam um nível pobre de recepção e emissão, muitas vezes sem um trabalho anterior em treinamento auditivo;

As vantagens que esse método apresenta para esse tipo de aluno são:
- propicia à criança ser o sujeito de seu próprio conhecimento;
- facilita a aquisição de linguagem a criança que possuem um nível muito pobre
nesta área e passam a se apoiar na pista gráfica, além da leitura orofacial e/ou da
Língua Brasileira de Sinais;
- facilita a ampliação do léxico, bem como das estruturas da língua, à medida que
o aluno reconhece palavras, destaca sílabas, forma novos vocábulos, novas
frases, chegando a organizar uma estória com começo, meio e fim.

Material

Para a aplicação do método analítico-sintético deve haver:
a) Textos com começo, meio e fim, visando a introdução das diversas famílias
silábicas. Esses textos serão mais simples em termos de vocabulário e estruturas
lingüísticas, no início da alfabetização, enriquecendo-se gradativamente;
b) Exercícios de compreensão dos textos;
c) Exercícios para fixação das séries silábicas.
Observação: Todo material gráfico apresentado aos alunos, deverá ser confeccionado em letra
de imprensa.

Como Explorar Cada Série Silábica
Exemplo: série silábica: ma - mo - mu - me - mi.
Palavra chave: macaco.
Exploração da estória, através de dramatização ou passeios - (sugestão - visita
ao jardim zoológico).
· Apresentação do texto, na lousa, em letra de imprensa. Através de perguntas, o professor
induzirá a classe a montar um texto.
· Leitura oral e/ou sinalizada pelo professor.
· Leitura oral e/ou sinalizada pelos alunos.
· Apresentação do cartaz da palavra-chave que deverá ficar exposto na classe.
· Destaque da palavra-chave, (que poderá ser um substantivo concreto ou um verbo
dramatizável) no texto, pelo professor.
· Destaque da palavra-chave, separação das sílabas a marcação do ritmo vocabular.
· Formação, na lousa, de toda a série silábica.
· Solicitação para que cada aluno circunde, no texto, um elemento da série silábica.
· Solicitação aos alunos para que evoquem e emitam e/ou sinalizem palavras com a série
silábica apresentada na lousa. Exploração do significado do vocabulário apresentado.
· Leitura das palavras, visando a emissão oral correta dos fonemas.
· Formação oral de frases com algumas das palavras apresentadas pelos alunos.
· Entrega do texto em letra de imprensa aos alunos:
a) leitura do texto;
b) destaque da palavra-chave;
c) destaque das sílabas, circulando-as;
d) ilustração do texto;
e) interpretação oral e/ou sinalizada;

· Compreensão escrita do texto.
Os exercícios deverão ser mais simples no início,graduando-se as dificuldades. Por exemplo:
completar frases;
ligar frases; ordenar frases;
riscar o quadrado certo escrever sim ou não;
escrever certo ou errado;
· Exercícios para fixação das sílabas:
circundar sílabas;
ligar palavras (letra de imprensa à cursiva);
escrever o nome correspondente a uma gravura ou desenho;
desenhar em correspondência às palavras apresentadas;
ligar o desenho ao nome;
separar sílabas;
formar palavras com as sílabas apresentadas;
completar palavras com as sílabas trabalhadas;
etc...
· Apresentação de textos suplementares sobre a mesma série silábica. Desenvolver os
mesmos passos descritos para o texto de apresentação da série silábica.

Observações:
· Antes que o professor inicie o trabalho com qualquer série silábica, deverá fazer o
levantamento do vocabulário da realidade e do interesse dos alunos, elaborando os textos
que deverão obedecer ao estágio lingüístico da classe.

Fonte:Série Educação Especial - Deficiencia Auditiva MEC

3 comentários:

pmk ad disse...

Porfavor, pedimos um minuto de sua atenção:
Nos da PMK Brasil – Produções Eventos Propaganda e Marketing, junto com Dr. Francisco Lima Tradutor e Intérprete (Escola Americana Instituto Mackenzie-SP, 1983); Licenciado e Bacharel com formação em Psicologia (UNESP-Assis/SP, 1995); PHD em Psicofísica Sensorial (USP-RP/SP, 2001).
Atualmente, é Professor Adjunto no Curso de Pedagogia e em Licenciaturas diversas na Universidade Federal de Pernambuco (CE/UFPE); Orientador no Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE/CE/UFPE); Membro Internacional do Tactile Research Group (TRG-USA); Coordenador do Centro de Estudos Inclusivos (CEI/UFPE); pesquisador nas áreas de Acessibilidade e das barreiras atitudinais contra as pessoas com deficiência, principalmente nos ambientes físicos e sociais, no trabalho, na educação e no lazer.
Gostariamos de falar com os Srs., sobre Educação Inclusiva, deficientes visuais, ou seja Áudio-Descrição, conforme LEGISLAÇÃO AUDIODESCRIÇÃO LEI No 10.098, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2000. e PORTARIA Nº 403, DE 27 DE JUNHO DE 2008, para tanto gostaríamos mostrar aos Srs. O que “AD”, na pratica, para futuros trabalhos na área de comunicação, cinema teatro, filmes, desenhos, etc...e para materiais didáticos.
Aguardamos retorno
PMK Brasil - www.pmkbrasil.com.br fone (11) 2958-0605
Obrigado
Claudio

Marta Nogueira disse...

Parabéns pelo rico material. Não sei se estão acompanhando ou atualizando este blog, mas tenham a certeza que valeu muito as dicas aqui apresentadas. Se póssível continuem. Um abraço, Marta Nogueira ( Professora de Língua Portuguesa - Rede Pública Estadual e Municipal de Ensino) Visitem meu blog: amolinguaportuguesa-martavnogueira.blogspot.com

Luiz Albérico Falcão disse...

Interessante a proposta colocada contudo preciso de mais detalhes por conta das intervenções pedagógicas referentes a estimulação precoce para crianças surdas. nosso site: visaoinclusiva.com.br
aguardo retorno
libras.pernambuco@gmail.com
abçs
luiz alberico falcao

©2007 '' Por Elke di Barros